Notícias

Tiago Amaral deixa vice-liderança do governo na Alep após divergência

O deputado Tiago Amaral (PSB) deixou a vice-liderança do governo Ratinho Junior na Assembleia Legislativo do Paraná (Alep). O anúncio foi feito pelo próprio parlamentar neste sábado (4). O motivo para a decisão foi a divergência de posição em relação ao decreto estadual que determinou a suspensão das atividades consideradas não essenciais por 14 dias em Londrina e região, além de outras seis localidades, por conta do coronavírus.

De acordo com o parlamentar, sua opinião é de “que a delegação de competência e responsabilidade para as prefeituras é a melhor medida a ser tomada nesse momento” e que não houve uma mudança de entendimento nesse sentido por parte da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa). Ele criticou que a decisão tomada pelo governo foi exclusivamente por determinação da Sesa, “sem qualquer consulta ou comunicado à Assembleia Legislativa do Paraná e aos parlamentares”.

No comunicado, Amaral agradeceu o governador. Durante a semana, várias pessoas da área política e empresarial levantaram a possibilidade de que a decisão de quarentena mais severa para Londrina havia sido tomada para enfraquecer o prefeito Marcelo Belinati, já que Tiago Amaral é apontado como um pré-candidato à prefeitura nas eleições deste ano.

Os deputados Tercilio Turini (Cidadania) e Tiago Amaral encaminharam envio de expediente, o documento oficial via Assembleia Legislativa, ao Governo do Paraná para dar força mais uma vez à solicitação de alteração no decreto 4942/2020 e para delegação de competência e responsabilidade aos prefeitos que assim o desejarem. Na mandado de segurança impetrado pelas entidade de classe na Justiça, Amaral e Turini não participaram.

Por Portal Paiquerê

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios