Notícias

Por coronavírus, Justiça suspende missas no santuário de Aparecida

Por causa da pandemia do novo coronavírus, a Justiça determinou neste sábado, 14, a suspensão de missas e eventos no Santuário Nacional de Aparecida, maior templo católico do País, localizado na cidade de Aparecida, interior de São Paulo. A juíza Luciene Belan Ferreira Allemand acatou ação proposta pelo Ministério Público, considerando a “ameaça de contaminação e disseminação da doença, por se tratar de medida de saúde pública, evitando-se, assim, a exposição de diversas pessoas ao vírus, bem como suas consequências”. O templo tem capacidade para acomodar 40 mil pessoas em torno do altar central.

O santuário informou que já acatou a suspensão e que a medida é temporária – o prazo fixado pela juíza é de 30 dias, mas pode ser prorrogado. A última missa presencial foi celebrada ao meio-dia deste sábado, 14, mas o público não foi calculado. A basílica e outras dependências vão continuar abertas à visitação do público. As missas continuarão sendo celebradas em espaço reservado aos padres, sem a presença do público, mas serão transmitidas pela TV Aparecida, rede de televisão católica sediada no santuário.

A proibição alcança as celebrações da Semana Santa, inclusive os ofícios da Sexta-Feira Santa, no dia 10 de abril – último dia do prazo fixado pela juíza. Se não houver prorrogação, o Santuário poderá retomar as celebrações no Sábado de Aleluia e no Domingo de Páscoa. Conforme o Santuário, o prazo pode sofrer alterações “de acordo com novas orientações” e seus colaboradores estão orientados sobre as medidas preventivas para o coronavírus. Os espaços pequenos, como elevadores, auditórios e salas de reunião, terão seu número de usuários reduzido.

Por Estadão Conteúdo

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios