Geral

Polícia atira em homem negro pelas costas e provoca protestos nos EUA

O caso de Blake é mais um a gerar manifestações contra a brutalidade e o racismo da polícia americana desde o assassinato, em 25 de maio, de George Floyd

Uma multidão saiu às ruas para protestar na cidade de Kenosha, em Wisconsin, nos EUA, após a polícia disparar várias vezes no domingo (23) contra um homem negro pelas costas, a curta distância – e na frente de seus três filhos pequenos, segundo o advogado da família.

A vítima, identificada como Jacob Blake, 29, foi levada a um hospital em Milwaukee e se encontra em estado crítico. O pai dele disse à rede NBC que seu filho já passou por cirurgia e estava em condição estável.

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra Blake andando até o assento do motorista de um veículo SUV, seguido por dois policiais que apontam armas para suas costas. Blake, que aparenta estar desarmado, abre a porta do veículo com os policiais atrás dele e os tiros são disparados à queima-roupa. É possível ouvir sete disparos. Não está claro se só um ou os dois oficiais dispararam.

“Esta noite, Jacob Blake recebeu múltiplos disparos nas costas, em plena luz do dia, em Kenosha, [no estado de] Wisconsin”, postou o governador de Wisconsin, o democrata Tony Evers, no Twitter.

“Apesar de ainda não termos todos os detalhes, sabemos com clareza que não é o primeiro homem ou pessoa negra a receber disparos, a ser ferido ou a ser assassinado sem piedade nas mãos de membros da força da ordem no nosso estado ou nosso país”, continuou.

O caso de Blake é mais um a gerar manifestações contra a brutalidade e o racismo da polícia americana desde o assassinato, em 25 de maio, de George Floyd, um homem negro de 46 anos, em Minneapolis. Floyd foi sufocado por um policial branco que pressionou seu pescoço por quase nove minutos entre seus joelhos.

Segundo a polícia de Kenosha, o episódio deste domingo ocorreu quando respondia a um chamado de incidente doméstico, perto das 17h locais (19h no horário Brasília). Em nota, a organização afirma que a vítima foi levada imediatamente ao hospital, mas não deu mais explicações sobre o caso.

O advogado de direitos civis Ben Crump, que atende a família George Floyd e também disse ter sido contratado para representar Blake, afirmou no Twitter que os três filhos da vítima estavam a apenas alguns metros dali quando ele foi alvejado. “Viram a polícia atirar em seu pai. Ficarão traumatizados para sempre”, escreveu.

Segundo o advogado, Blake tinha tentado intervir em uma briga entre duas mulheres.

À noite, uma multidão de manifestantes enfrentou policiais antidistúrbios nas ruas.

Posts nas mídias sociais mostram pessoas marchando por Kenosha, cidade de cerca de 100 mil habitantes a cerca de 100 km de Chicago, e jogando coquetéis molotov e tijolos em policiais.

A cidade decretou toque de recolher até as 7h (9h no Brasil) desta segunda-feira. O departamento de Justiça de Wisconsin afirmou que sua divisão de investigação criminal está apurando o ocorrido. “Os oficiais envolvidos foram colocados em licença administrativa”, informou, em um comunicado nesta segunda-feira.

Por Folhapress

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios