Economia

Mais de um milhão de brasileiros têm direito de receber auxílio emergencial reconhecido

Ao todo, governo já liberou mais de R$ 92 bilhões para pagamento do benefício

Mais um milhão de brasileiros foram considerados elegíveis para receber o auxílio emergencial do Governo Federal. Todos os cadastros feitos entre 27 de maio e 16 de junho foram encaminhados à Caixa Federal, que é a responsável pelo pagamento aos beneficiários.

Desde abril, 65,2 milhões de brasileiros já se tornaram elegíveis ao auxílio dado para minimizar o impacto da crise econômica pelo novo coronavírus. O governo estima que 58,7% da população foi alcançada pelo programa, uma vez que, indiretamente, o custeio chegou a 124 milhões de pessoas.

Ao todo, a Caixa já pagou R$ 92,3 bilhões para os beneficiários. Atualmente, o programa está liberando a terceira parcela, mas todas as pessoas que conseguiram a aprovação junto ao governo vão receber todas as parcelas. O auxílio emergencial de R$ 600 (R$ 1.200 para mulheres que são responsáveis pelas despesas da família) é destinado aos trabalhadores informais, microempreendedores individuais (MEI), autônomos e desempregados.

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios